sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Siglas e nomenclaturas de lentes fotográficas - Parte 1

Quem nunca se viu perdido diante da quantidade de siglas e nomenclaturas que acompanham as lentes objetivas das câmeras SLRs? Quem nunca se questionou o que quer dizer cada uma destas informações, que atire a primeira pedra.
Acho que essa é uma das dúvidas mais comuns, principalmente para aqueles que acabam de aderir ao sistema de câmeras reflex (digitais ou analógicas). Agora cá pra nós, até aqueles que possuem anos de estrada eu ainda encontro com várias dúvidas sobre isso.

Então saiba que todas as siglas de uma lente trazem informações valiosíssimas em relação aos elementos empregados e tecnologias pesquisadas para sua construção. Essas informações são tão importantes, que irão lhe fazer entender porque uma lente chega a custar 30 vezes mais do que outra de range similar.

Diante dessa questão, resolvi reunir em dois artigos um apanhado das principais siglas e nomenclaturas de lentes: um para as lentes proprietárias, ou seja, aquelas onde a mesma empresa fabrica todo o sistema (lente, corpo e acessórios fotográficos) e outro artigo descrevendo as lentes de óticas de terceiros (empresas que produzem lentes para os principais fabricantes proprietários).
Vamos as principais lentes proprietárias do mercado:


FD (Manual Focus - Focagem Manual)
Sistema manual de lentes da Canon, largamente utilizado nos anos 70 e 80. Essas lentes usam um sistema alavancas e pinos mecânicos para transmitir informações de abertura para o corpo da câmera. Não podem ser usadas diretamente em corpos de câmeras da linha EOS, salvo se utilizado adaptador próprio.

EF (Electro Focus - Focagem Eletrônica)
Este mount trata-se de um sistema totalmente eletrônico de transmissão de informações entre objetiva e o corpo da câmera. Foi introduzido pela Canon em 1987, projetado para os corpos do sistema EOS. O sistema eletrônico trouxe várias implementações novas para o mount, como redução de ruídos, maior precisão e rapidez de foco, controle eletrônico de abertura, entre outros, graças a um microchip implementado na lente, que pode informar problemas e algum mal funcionamento, garantindo maior confiabilidade de operação. Todas as lentes EF são auto foco não se encaixam em nenhum outro corpo de Canon. Elas possuem diâmetro interno de 54mm e externo de 65mm, maiores do que qualquer outro sistema 35mm do mercado. Para diferenciar das demais lentes Canon, possuem um ponto vermelho próximo ao mount de encaixe ao corpo.

EF-S (Electro Focus Short Back Focus - Foco Eletrônico Curto Posterior)span style="font-size:85%;">
Fora projetadas para a linha Canon EOS de câmeras digitais equipadas com sensores APS-C (de 1.6x de fator de corte). O "S" da sigla significa que foram produzidas para uma distancia focal posterior mais curta em relação ao posicionamento do sensor APS-C.
A Canon conseguiu desenvolver lentes mais compactas, com menos elementos e consequentemente mais baratas para suas SLR digitais, justamente movendo os elementos traseiros para mais perto do sensor da imagem, diferente das lentes EF das SLR 35 mm e full frame. Essas lentes não podem ser usadas em cämeras de sensor full frame e/ou filme 35mm, pois sua abrangência não preenche o fotograma total.
As lentes EF-S se diferenciam das EF por um ponto quadrado branco localizado próximo ao encaixe do mount.

EOS (Electro-Optical System - Sistema eletro-ótico)
Nome do sistema das Cameras SLR da Canon e seus acessórios lançados em 1987. As lentes da linha EOS são totalmente controladas eletronicamente. Não possuem nenhum dispositivo mecânico para foco ou ajuste de abertura. Todos os ajustes são feitos por motores construídos na lente e não no corpo da câmera. Embora isso acrescente custos na fabricação da lente tem a vantagem que cada motor de lente poder ser otimizado para o tamanho e tipo especifico da lente, ao invés de prender o sistema do corpo da câmera que precisa se ajustar à qualquer lente que seja acoplada.

L
Essa é simplesmente a linha mais top de objetivas da Canon. São lentes especiais, profissionais, com elementos óticos de primeira linha (construídos a partir de cristais UD, S-UD ou fluorita, além de elementos Asféricos, tratamento apocromático e anti-reflexivo). Possuem foco e retrofoco internos (I/R) de última geração, dando maior velocidade ao foco automático; com foco manual a um toque com ação não interrompida, (mesmo no autofocus o fotógrafo pode ajustar manualmente o foco sem precisar acionar a chave de modos de foco).
As lentes L não possuem uma denominação definida pela Canon. Uns dizem se tratar de "Low Dispersion" (baixa dispersão) por conta da altíssima tecnologia. Alguns fãs ardorosos chegam a dizer que se trata de "Luxury", devido ao seu alto grau de qualidade, sofisticação e preço extremamente elevado.

DO (Diffractive Optics - Ótica Difrativa)
Altíssima performance e o mais compacto de todos os sistemas de design refrativos. Os elementos multi-camadas difrativos da Canon trabalham em conjunto a uma ótica de cristas óticos para cancelar os efeitos da dispersão, além de minimizar ou eliminar a aberração cromática.
Além da correção de aberração cromática, esta tecnologia também resulta em lentes mais compactas (menores), sem comprometer a qualidade. A Canon também desenvolveu um novo tipo de camada usando três novas camadas difrativas, resultando em imagens de alta qualidade com altos níveis de resolução e contrastes, chegando inclusive a rivalizar com algumas lentes da série L

USM (Ultrasonic Motor - Motor Ultrasônico)
Nome dado pela Canon para seu sistema de motor de lente ultrasonico. Os motores ultrasônicos trabalham com o princípio do movimento induzido por vibração de alta frequência. Assim as lentes USM focam extremamente rápido e são quase silenciosas para o ouvido humano. Lentes Ring USM (que possuem o motor em um conjunto de anéis ao redor do corpo) não usam engrenagens o que torna possível o foco manual em tempo integral (FTM - Full-time Manual). Lentes USM com micromotores mais baratos, entretanto, usam engrenagens e normalmente não suportam FTM. As lentes não-L com motor USM são identificadas pela faixa dourada impressa no final do corpo.

IS (Image Stabilization - Estabilizador de Imagem)
Faz com que sejam possíveis ser feitas fotografias sem auxílio de um tripé ou outro tipo de base, em situações de baixa luminosidade.
As lentes IS possuem elementos especiais que ao sentir o saculejo da câmera, automaticamente se deslocam de sua posição, por meio disso estabilizando a imagem.
Essa compensação promete assegurar fotografias sem tremidos até 3 f/stops inferiores a velocidade recomendada. Resumindo, o sistema IS da Canon é perfeito para situações de pouca luz onde utilização de tripé se tornaria um inconveniente .

TS-E (Tilt Shift Lens)
A correção de perspectiva era uma possibilidade exclusiva das câmeras de grande formato até então. Depois vieram os flex-body da hassel, depois as objetivas short-barrel para a Mamiya e então o sistema TS da Canon para o mundo 35mm e SLR digital.
Essa lente permite ao fotógrafo controlar em que ângulo vão estar os planos que limitam a profundidade de campo. A focagem não fica paralela ao filme, mas como se estivesse em uma diagonal.
Ela serve por exemplo para "desentortar" linhas convergentes quando não se fotografa no mesmo plano do assunto, como por exemplo, prédios que de forma natural iriam convergir para o centro da imagem. Ela permite que esses edifícios se mantenham retos e alinhados. Veja este exemplo

UD (Ultra Low-dispersion Glass - Elemento de Dispersão Ultra Baixo)
Elementos de lentes fabricados com cristais UD tem um indice de refração menor do que as de cristal comum. Tais elementos são, normalmente, usados para corrigir aberração cromática.


AI (Aperture Indexing - Indexação de Abertura)
Lançado oficialmente pela Nikon em 1977, trata-se de um sistema de lentes que permitem comunicação através de um contato mecânico, informando o corpo da câmera os valores de abertura. Essas lentes são identificadas por uma lingueta de metal fixada na parte superior do anel de abertura da lente. Trata-se de uma lente sem focagem automática. O foco é feito apenas de forma manual.

AI-S (Aperture Indexing - Indexação de Abertura)
Uma variação das lentes AI para o mount F da Nikon. Esse padrão mantém total compatibilidade de encaixe. Foi lançado em 1982. Essas lentes são basicamente as lentes AI com com adição de suporte para novas automações, como transmissão de abertura linear e modo programado para velocidade de disparo (P).

AF (Auto Focus - Foco Automático)
Lançada em 1992, foi a primeira linha de lentes Nikon com focagem automatizada. A lente da câmera foca automaticamente a imagem em uma parte selecionada do quadro ou objeto. A maioria dos corpos das câmeras permitem que você decida os lugares de foco exatos, geralmente pressionando o disparador até a metade. Essas lentes não possuem motor de foco, portanto para funcionar o AF, é necessário que sejam instaladas em um corpo Nikon que possua motor de foco. Funcionam perfeitamente em câmeras mais antigas, por possuir anel para controle de abertura, mas vale ressaltar que a focagem continua sendo feita de forma manual.

AF-S (Build in Auto Focus Motor - Motor de Auto Foco Incorporado)
Essa lente AF foi lançada em 1996 e já vem com um motor de foco embutido, além de um motor de ondas silenciosas "silent wave" integrado. Possui focagem bem mais rápida e silenciosa do que as lentes AF anteriores. Funcionam perfeitamente em corpos mais novos, onde pode-se controlar a abertura por eles. Em relação ao AF, é uma lente essencial para corpos que não possuem motor de foco (D40, D40x e D60) e não funcionam a contento em câmeras mais antigas, por não possuir anel de abertura mecânico, fazendo com que nestes corpos elas atuem sempre em sua menor abertura (já que é controlada apenas eletronicamente).

AF-D
Uma das variações da linha de lentes Nikon auto foco "mount F".

D/G (Distance information - Informação de Distância)
As objetivas AF tipo D/G informam a distância entre a câmera e o assunto ao corpo da câmera Nikon. Com essas informações em mãos, tornou-se possível avanços na fotometria matricial 3D (3D matrix) e no sensor de flash, permitindo preenchimento mais correto e muito mais equilibrado. As lentes G não possuem anel de controle da abertura, o que impossibilitam seu uso com câmeras manuais antigas.

DX (For Digital SLR APS sensor - Para corpos de SLR digitais com fator de corte)
São as lentes Nikkor AF projetadas exclusivamente para serem usadas em câmeras SLR digitais da Nikon, utilizando o fator de corte 1.5x característico da marca. As lentes DX são mais compactas e leves que as Nikon padrão (FX) e isso acontece porque elas não necessitam cobrir o tamanho de um sensor fullframe, já que sua área de utilização é menor. Não devem ser utilizadas em corpos Nikon full frame e 35mm, justamente por não conseguir garantir cobertura total do fotograma. Foi criado para ser usado nas digitais D40, D50, D60, D70, D80, D90, D100, D200, D300, etc).

FX (lens for full frame body - Lentes para corpos padrão 35mm)
Ao contrário das lentes DX, são as lentes projetadas para o padrão 35mm, por conseguir cobrir toda a área de um sensor neste formato. São lentes para operação em câmeras 35mm AF, além das digitais D3x, D3, D700, etc).

ED (Extra-Low Dispesion Glass - Elemento ótico extra de baixa dispersão)
Oferece ganhos em nitidez e reprodução de cores, minimizando muito as aberrações cromáticas. Os elementos óticos ED trazem todos os benefícios de lentes feitas a partir do cálcio fluorite, mas sem suas fragilidades. A Nikon desenvolveu vários tipos do elementos óticos ED, que são usados de acordo com a com a conveniência das objetivas produzidas. Em suma são os elementos de melhor qualidade da marca e equipam as melhores e mais caras objetivas que ela produz.

ASF (Aspherical Lens Elements - Elementos de Lente Asféricos)
A lente possui elementos asféricos no seu design ótico, que por sua vez eliminam anomalias e outros tipos de aberrações de lente, usando complexas curvas nos elementos que compõem o seu design.

CRC (Close-Range Correction System - Sistema de Correção de Variedade de foco)
Promove uma qualidade superior de focagem em distâncias próximas e quando essa distância variável vai aumentando. Com o sistema CRC, os elementos são configurados na objetiva em um design flutuante, onde cada grupo de lentes se movem de forma independente para realizar o trabalho de foco. Isso assegura uma performance de focagem superior quando precisa se alternar entre uma focagem próxima e outra distante. O sistema CRC é bastante utilizado em lentes olho-de-peixe (fisheye), grande angulares, macro teleobjetivas médias da Nikkor.

IF (Internal Focusing - Focagem Interna)
Lentes com essa característica podem fazer focagem sem precisar ter o seu tamanho alterado. Todo o movimento ótico é feito de maneira interna, não precisando estender ou diminuir o barril da lente. Isso garante uma construção mais leve e compacta, já que seus elementos de focagem são menores e inclusive mais rápidos.

DC (Defocus Control Lens - Lente de Controle de Desfocagem)
A Nikon apresenta em suas lentes AF DC uma interessante tecnologia exclusiva de controle de desfocagem na lente. Ela permite que fotógrafos controlem o grau da aberração esférica no primeiro plano ou
no plano de fundo, bastando apenas girar o anel DC da lente. Essa alteração criará nas áreas fora de foco um bokeh forte e acentuado, ideal para destacar o assunto nas fotografias de retrato.

RF (Rear Focusing - Focagem Traseira)
Os elementos óticos são divididos em grupos específicos da lente. No sistema RF, apenas o grupo de elementos traseiros se movem para a focagem. garantindo a operação de auto-focagem muito mais lisa e rápida.

VR (Vibration Reduction - Redução de Vibração)
Minimiza a falta de nitidez na das imagens, causadas pelo tremor da câmera em baixas velocidades de disparo. Permite ao fotógrafo trabalhar com até 3 velocidades (f/stops) abaixo da recomendada, sem risco de foto sair tremida. A lente possui sensores que detectam automaticamente os tremidos do fotógrafo e corrige o disparo através de motores próprios. É uma característica interessante principalmente para as teleobjetivas (onde é mais fácil sair fotos tremidas) e que também deixam a lente um tanto mais cara.



ED (Extra-Low Dispersion Glass - Vidro Extra de Baixa Dispersão)
É um dos elementos mais caros, mas em compensação de maior qualidade, uma vez que seu trabalho é reduzir a aberração cromática ou a chamada a "cor fringing". Todas as lentes Olympus (exceto as lentes as Crummiest) incluem pelo menos um elemento ED.

Super ED (Super Extra-Low Dispersion Glass - Super Vidro Extra de Baixa Dispersão)
Seria uma versão mais nova e eficaz da ótica ED da Olympus, com maior poder na redução da aberração cromática ou "cor fringing". A Olymus não explica em detalhes os detalhes desta tecnologia, mas as lentes Super ED teriam um estágio secreto duplo de funcionamento.

SWD (Supersonic Wave Drive - Motor de Onda Supersônica)
Trata-se de um motor piezelétrico que contribui para tornar a operação de auto foco (AF) mais rápida e principalmente mais silenciosa. Semelhante ao USM da Canon ou o sistema AF-S das lentes Nikon.

OM (Manual Focus - Focagem Manual)
Essa sigla determina as antigas lentes do sistema de filme 35mm da Olympus.
Elas não operam nos corpos das câmeras modernas da marca, a não ser que seja usado um adaptador "MF-1 OM Adaptador", que custa na faixa de 100 dólares. A Olympus explica que pode ocorrer uma redução nas aberturas de operação das lentes ao se usar o adaptador, como por exemplo de f5.6 cair para f8.


DA
Refere-se a série de lentes projetadas exclusivamente para câmeras digitais. Todas as lentes da série DA apresentam um "Sistema de Foco de rápida resposta" que permite aos fotógrafos trocarem imediatamente o modo de focagem de automático para manual através de uma simples guinada no anel de foco.

FA
Especifica a série de lente Auto Foco compatível tanto com o sistema de filme 35mm como os corpos das SLR Digitais.

FA-J
Indica uma linha de lentes de Auto Foco mais baratas, sem anel de abertura, que é controlado apenas eletronicamente, compatível tanto com filme 35mm como com corpos SLR digitais.

A
Indica a linha das antigas lentes de foco manual.

AL
Oferece vantagens na redução das distorções nas bordas da lente e compensação das aberrações asféricas, além de reduzir a quantidade de elementos óticos internos, deixando a lente mais leve e compacta.

SP (Super Protect - Super Proteção)
Refere-se a um revestimento de super proteção aplicado à superfície das lentes Pentax. Esse revestimento acontece por uma cobertura de composto de flúor especial para repelir poeira, água e gordura, permitindo sua fácil limpeza, principalmente em relação as marcas de impressões digitais acidentalmente deixadas no elemento frontal.

ED (Extra-Low Dispersion - Elementos Extras de Baixa Dispersão)
Garante que os elementos que compõem a objetiva possuam "baixa dispersão". Ésses elementos são mais caros por possuirem alta qualidade, servindo para reduzir a aberração cromática, onde a luz de cores diferentes toma caminhos alternativos pela lente, resultando em um ponto da luz branca que fogem daquilo que o filme ou o sensor conseguem captar.

IF (Internal Focusing - Focagem Interna)
É o foco interno. Significa dizer que a lente não tem o comprimento físico modificado em relação ao trabalho de focagem.

SDM (Supersonic Drive Motor - Comando de Motor Supersônico)
Seria o equivalente da Pentax para as lentes USM da Canon.
O SDM faz a focagem automática trabalhar de forma mais rápida, facilitando inclusive a comutação entre AF e MF (focagem manual). Fazendo mais um comparativo, o que a Canon denomina de "Foco Manual em Tempo Integral", a Pentax chama de "Sistema de Foco Super Rápido".

DR (Dust Removal - Retirada de Poeira)
Sistema Pentax de limpeza do sensor CDD. O sensor treme para que a poeira e as partículas de sujeira não fiquem assentadas em sua superfície


MF (Manual Focus - Foco Manual)
São velhas lentes de foco manual da Minolta. Para operar nos corpos Sony Alpha mais modernos, necessitam de um adaptador especial.

MD (Minimum Diaphragm - Diafragma Mínimo)
Acredita-se que signifique "Minimum Diaphragm", pois as lentes MD têm uma aba para indicar qual a abertura mínima da lente ao corpo.

ED (Extra-Low Dispesion Glass - Elemento ótico extra de baixa dispersão)
Trata-se dos um elementos óticos de baixa dispersão, ou seja, um elemento ótico caro e de altíssima qualidade que garante redução da aberração cromática ou "cor fringing"

IF (Internal Focusing - Focagem Interna)
É o foco interno. Significa dizer que a lente não tem o comprimento físico modificado em relação ao trabalho de focagem.

SSM (Supersonic Wave Drive - Motor de Onda Supersônica)
Trata-se de um motor piezelétrico que contribui para tornar a operação de auto foco (AF) mais rápida e principalmente mais silenciosa. Semelhante ao USM da Canon ou o sistema AF-S das lentes Nikon.

ADI (Advanced Distance Integration - Integração de Distância Avançada)
É o sistema de medição integrado para flashs. Esse sistema está disponível desde as Alpha A100, utilizando flash externo TTL da Sony. Ele fornece medição mais avançada do que o sistema convencional TTL (medição pela lente), independendo da refletividade de luz do assunto ou do fundo da cena. Este sistema determina a potência do flash, dispensando o uso de pre-flash para medir a exposição apropriada.

DT
São as lentes Sony projetadas para cobrir toda a superfície dos sensores APS-C (cropados). Uma grande vantagem é produzir lentes mais compactas e menores, não precisando o fotógrafo carregar lentes pesadas do sistema Full Frame. A desvantagem deste sistema é que essas lentes não poderão ser usadas em corpos Full Frame ou filme 35mm, justamente por não conseguirem preencher todo o fotograma exigido.

G (Golden - Douradas)
São as lentes de maior qualidade do sistema Sony Minolta. Possuem grandes aberturas, alta durabilidade e os seus elementos óticos possuem tratamento ED de baixa dispersão, produzindo imagens com uma resposta de cor mais fiel e baixa aberração cromática, além de posuir SSM e focagem interna. Definitivamente uma lente para profissionais avançados e que estão dispostos a pagar por essa tecnologia. Seria o equivalente das lentes L do sistema Canon.

T (Treatment - Tratamento)
Refere-se a um revestimento ótico anti-refletivo desenvolvido pela Carl Zeiss nos anos 1970. Essa tecnologia permite aumentar a transmissão de luz, reduzindo as reflexões dentro da objetiva, corrigindo as ondas de baixo contraste crescente. Em princípio, as lentes de câmeras SLR digitais de todos os fabricantes possuem algum revestimento semelhante.

APO (Apochromatic Treatment - Tratamento Apocromático)
Define a tecnologia apocromática utilizado nos elementos óticos das objetivas Sony, para que haja uma menor aberração cromática nas imagens.

HS (High Speed - Alta Velocidade)
Presentes em algumas objetivas "G", traduzindo aquelas que focam mais rapidamente apesar de não possuir motor piezelétrico (SSM).


FONTES:
photo.net -
Vistek - DigiForum - Escola de Imagem - Larry Bolch - Tom Hogan Nikon Field Guide

Gostou? Não gostou? Deixe um comentário.

3 Comentários:

Renan Odorizi disse...

Muito bom Rodrigo...
show esse post, realmente uma pesquisa completa!
Parabéns meu broter!!!

reginalissima disse...

Super valeu .Rodrigo

segudores intagram disse...

Muito bom o post bem bacana !!

Postar um comentário

Se você não é um usuário do Blogger (Google) ou Wordpress, utilize a opção Nome/URL (se não tiver um site, deixe essa opção em branco). Não deixe de completar o formulário com seu nome ou apelido, pois é importante sabermos quem fez o comentário.

JAMAIS COMENTE DE FORMA ANÔNIMA.

Marcadores

Leitores

Notícias


Assine nosso Feed
Receba os artigos por email


BlogBlogs.Com.Br BlogBlogs.Com.Br

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO